Image Map S.O.S. Girls: Medo de transição - #PapoDeAmiga

Medo de transição - #PapoDeAmiga

14 setembro 2014


      Oi meus amores! Primeiro, desculpa pelo sumiço... A vida anda muito corrida, mas não esqueci de vocês!
      Hoje eu quis escrever pra fazer vocês pensarem no porquê de entrar ou não entrar na transição. Lembrando que eu não estou aqui pra fazer alguém entrar em transição de qualquer jeito, e sim fazer vocês repensarem nos seus conceitos.



      Eu mesma tive medo de entrar em transição. Minha zona de conforto, minha rotina era essa: lavar o cabelo, fazer escova e prancha. Eu não conhecia nada diferente disso, não tinha informação, e não havia o porquê de eu mudar essa situação.
      Acredito muito em intuição e autoconhecimento. Quanto mais você passa por experiências, mas você se conhece, mais você aprende e decide o que é melhor pra você. Por isso que para alguns a maturidade chega cedo, e para outros, mais tarde. Tudo depende das suas experiências na vida.
      Com o tempo eu fui percebendo que aquele cabelo não era meu: estava na minha cabeça, mas não pertencia a mim. Era uma coisa alterada quimicamente, não vinha de dentro; o que vinha de dentro era diferente, não aceitado por muita gente, mas era o que eu tinha e era o que eu devia cuidar e respeitar. Porque sim, toda vez que eu ia no bendito salão eu desrespeitava meu corpo, minha genética, minha essência, e lá no fundo eu sabia que isso era errado, pelo menos para mim.
     Talvez o período de aceitação na transição seja o pior. Você precisa enxergar que aquilo não é você, que aquilo não te faz feliz ou que não te faz completa. Precisa enxergar que se enganou o tempo todo, tentando ser alguém que não era.
     Alisar, para algumas, foi obrigação, imposta pelos pais, pelos conhecidos, pela sociedade. Para outras, foi curiosidade, para algumas, foi alívio.
     Atenção: se alisar o cabelo te faz feliz e completa, por favor, pare de ler aqui. Esse post é para aquelas que sabem que não se sentem mais tão bem com os cabelos alisados e desejam mudar, mas não possuem coragem suficiente. Se você está bem assim, esqueça.
      Tem gente diz que cabelo não é nada de tão importante assim. E eu concordo. Cabelo faz parte de um grande conjunto chamado identidade. A sua identidade é tudo o que você é, o que te torna assim, desse jeitinho, especial e único. A sua identidade é a sua personalidade, o jeito que você anda, o jeito que você fala, como conversa, como toma suas decisões, como age em frente aos problemas, como você se maquia, como você encara as mudanças, como você muda, o jeito que você trata o mundo e as pessoas, como você é com o seu cabelo, etc... Tudo isso junto é você, tudo isso marca as pessoas e a fazem lembrar de como você é.
      Dizem também que como as pessoas te vêem não deve ser levado em consideração. Talvez sim, talvez não. Ninguém gosta de ser chamado de ruim quando na verdade é uma pessoa boa. Ninguém gosta de ser conhecido por algo que não é. O que as pessoas pensam de você é importante sim: você só tem que decidir o quanto é importante na sua vida.
      Muita gente alisa o cabelo por causa das opiniões alheias. Muita gente escuta desde pequena que a sua cor, sua raça é feia. Então resolvem tentar dar um "jeitinho". Parecer menos daquele jeito e parecer mais daquele outro jeito. Tentar mudar o fato que o seu cabelo cresce diferente dos outros.
     Sofremos preconceitos porque somos diferentes. O diferente chama atenção só porque é... diferente! Pessoas ignorantes têm preguiça de aprender e aceitar o... diferente! Pessoas ignorantes não aprendem que o mundo é... diferente! A diferença que faz a vida mais bonita. Imagine se todo mundo fosse igual? Que graça teria em viver, em aprender e a aceitar o próximo? O diferente é bonito. Aceitar o diferente, é lindo.
     Então, se você sabe que, lá no fundo, é diferente, por que não se aceita? Não só o cabelo. Se seu corpo é diferente, se seus olhos, sua voz, seu jeito de ser são diferentes, por que não aceitá-los?
     Quando você começa a se amar, as pessoas percebem isso. Elas não podem fazer você mudar, porque você já se ama e se aceita assim. Os comentários se tornam fúteis quando você mesma percebe que nasceu assim.
     Mas eu seria hipócrita se dissesse que é fácil. Não é.
     O processo de aceitação demora, mais para algumas. Dá medo, dói. Mas é tão bom no final. A recompensa é tão grande que não pode ser colocada em palavras. Se amar antes de qualquer coisa é a melhor sensação do mundo!
     Então, por que você  ainda tem medo de tentar? Tentar não dói, não mata ninguém.
     A transição é difícil, nós já sabemos isso de cor. Mas não é impossível. É como correr muito pra chegar no fim do túnel, e lá no final, podemos ver a luz  que ficou escondida por muito tempo. A transição é realmente a luz  no fim do túnel.
    A falta de informação faz as pessoas desistirem. Procure, pesquise, pergunte. Esse é o primeiro passo para a sabedoria, e sabedoria traz coragem. Coragem traz auto-estima e auto-estima traz aceitação.
    E aí, vai deixar passar mais um dia sem ao menos tentar?
    Repense no quanto as opiniões estão te atingindo. Repense e veja o que você realmente quer e no que você realmente é.
    Independente das suas escolhas, seja feliz, como der.
    Saia do imposto pela sociedade. Seja o que quiser, não tenha medo de ser feliz.
    Esse é o recado que eu deixo pra vocês. Beijos  :*
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

  1. Olá.
    Gostei de seu texto. bem explicativo.

    Concordo com suas ideias.
    Também amo os cachos e acredito que ele representa nossas raízes.


    Vi seu blog na divulgação dos blogs no grupo "Cacheadas em Transição" no Facebook.
    Meu blog não trata de transição especificamente, mas sim de vários assuntos que tem a ver comigo.
    Abraço.

    AnaVi
    filhadejose.blogspot.com
    Instagram: @anavijf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Bom saber que ainda tem bastante gente aí que enxerga que os cachos fazem parte da gente, da nossa identidade.
      Obrigado pela visita. Beijos :*

      Excluir

© 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Luci Gonçalves.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo